Promoção do emprego jovem no âmbito da saúde

11 Sep    Uncategorized via102
Sep 11

Promoção do emprego jovem no âmbito da saúde

Uma diferença muito notável que foi visto controlada porque, por sua vez, aumentou o emprego de saúde em âmbito privado, especificamente 2,6% a partir de 2008, e o fez em 8,5% entre 2002 e 2008.

Levamos quase 10 anos de crise que começou nos Estados Unidos e, em seguida, passou a ser um problema um problema mundial, fazendo com que muitas pessoas perdessem seus empregos e até mesmo suas casas. Uma crise tem afetado todos os setores da sociedade, também o de saúde, o setor do qual gostaria de concentrar-me por ser este um blog de saúde. Gostaria de lembrar que entre 2011 e 2014 chegaram a perder 47.000 empregos no setor de saúde.
Esse é o efeito que tiveram os cortes neste domínio que, de acordo com uma pesquisa realizada pelo sindicato dos Médicos da Catalunha 2.700 médicos, nada mais e nada menos do que 46% dos médicos catalães sofreu problemas de exaustão emocional e estresse em seu trabalho. É o que se conhece como síndrome do “burn out”, ou seja, a síndrome do profissional queimado.
Não é de estranhar se tivermos em conta que, em pouco tempo (menos de 4 anos), o setor da saúde passou a receber 1.400 milhões de euros a menos do que recebia antes do início da crise, o que se traduz em fazer mais horas de trabalho, e, além disso, em condições muito piores que as que tinha antes por não dispor de capital suficiente, e até mesmo sofrer uma pressão maior assistencial para limitar gastos e poder “atender” às pessoas… Coloco entre aspas o de atender porque o fato de limitar minutos cada visita, quando há gente que precisa de mais tempo do que o outro, ou o fato de não oferecer todos os serviços por terem chegado a um número estabelecido resulta não apenas ofensivo e imoral, mas uma falta de atenção preocupante. A gente passou de pessoas e pacientes que querer ajudar a ser números e dinheiro que controlar e limitar de acordo com o dinheiro que o estado tenha podido distribuir.
Não obstante, há que dizer que, perante esta situação tão preocupante surgem outras oportunidades, tanto de trabalho como de atenção como o que oferecem as empresas privadas. É por isso que tem havido um aumento no número de postos de trabalho neste setor e também da demanda, e até mesmo as mesmas empresas oferecem serviços de apoio para que as pessoas menos favorecida possa fazer uso de seus serviços, pagando abaixo do preço estabelecido, para que ninguém fique sem atendimento de saúde.
Sem ir mais longe, temos uma grande iniciativa de uma empresa privada dental que oferece um posto de trabalho diário, ou seja, em uma semana dá trabalho a 5 pessoas para as pessoas que se cadastrarem na Assistência Odontológica Social. Além disso, é uma oferta destinada a pessoas com diferente perfil para ocupar diversas vagas das clínicas que esta companhia tem por todo o território português.
Obviamente, em iDental se concentram em dentistas, mas não é só isso, ao ser uma empresa que está crescendo cada vez por todo o estado espanhol, também precisam de pessoas para que pinten as novas clínicas, eletricistas, recursos humanos, contabilidade, programadores, etc., E não só isso, senão que, além disso, ajudam a formar o pessoal.
Iniciativas como essas são as que fazem com que um país em crise possa sair adiante, tanto para fomentar o emprego, como, por ajudar as pessoas mais desfavorecidas economicamente que não podem pagar um tratamento dentário possam recebê-lo para menor custo e até mesmo de forma totalmente gratuita.