Dor de dente: o que podemos fazer?

10 Aug    Uncategorized via102
Aug 10

Dor de dente: o que podemos fazer?

A dor associada às dentes do juízo é frequente e muitas vezes insuportável, mas se você seguir estas dicas antes de ir ao dentista, você pode levá-lo melhor.

Quando os dentes do juízo começam a sair, em 90% dos casos, se experimenta uma dor que costuma ser insuportável e que, além disso, não se cinge apenas ao dente afetado, mas também irradia para os que tem a seu lado. Por se fosse pouco, também é muito provável que venha associado com inflamação e abscessos. São momentos em que muitos chegam a odiar sua boca. Embora há alguns afortunados que não sentem, nem o mais mínimo de dor, e de fato nem sequer saberem que saíram já os dentes do juízo.

Por que nos dói tanto?
Os dentes do juízo costumam dar problemas, sobretudo porque não têm o espaço que é necessário para sair. Até mesmo, por vezes, lhes é difícil sair da própria gengiva.
Muitas vezes se encontra na posição horizontal e vai empurrando os outros dentes, com o risco de danificar a raiz dos que tem ao lado. Além disso, esta “viagem ao exterior” é muito provável que acabe tocando algum nervo e é isso que causa desse intenso dor que parece que te doa toda a face. Outras vezes saem mas não do todo, e esta posição precária é o que dá lugar à inflamação e abscessos dolorosos. Isso também torna os dentes muito mais susceptíveis de sofrer de cáries, porque ao não estar perfeitamente posicionados não recebem os cuidados necessários (escovação dental diária).
Auto-medicação
Este é um clássico em farmácias. Pode-se dizer que a cada semana vem alguém falando algo como: “me dê o que tiver de mais forte contra a dor”. É uma frase muito recorrente e é normal, porque é uma amostra do que sofre a pessoas com esse sofrimento intenso. Nestes casos, é aconselhável tomar medicamentos anti-inflamatórios não-esteróides (AINES). A dose vai depender do tipo de anti-inflamatório subministrado apesar de, geralmente, ser de 3 vezes ao dia (o metamizol ou Nolotil® pode ser aumentado para cerca de 4 ou 5 por dia), mas sempre sempre sempre com o estômago cheio e tentando tomar menos de uma dose possíveis para evitar os efeitos colaterais deste tipo de medicamentos.
Além disso, não se deve tomar por mais de 48 horas. É apenas um tratamento paliativo antes de ir ao dentista e deve ser solicitado hora entre o mesmo dia e o dia seguinte e evitar prolongar o consumo de anti-inflamatórios não esteróides.
Em qualquer caso, a dor de dentes,e, mais ainda, se está associada a dentes do juízo, deve ser comunicada ao dentista para que ele faça um diagnóstico correto e, possivelmente, tenha que receitar um antibiótico pela possível infecção. Mas isso deve dizer o médico, depois de ter verificado e prescrever a receita. Já sabeis que não se vendem antibióticos sem receita médica não devem ser encomendadas em farmácias (que ainda o prende, tentando por muito tempo que faça com que vos venha dizendo que não) porque se geram muitas resistências e deixam de fazer efeito.

Lembre-se que se criam resistências significa que os antibióticos não funcionam, e então, o que?…como é que você está prestes a remover a infecção se os medicamentos que tinha para isso já não valem?. Assim que temos que ser conscientes de que pode passar e tomar antibióticos somente se o seu médico prescreveu após a consulta médica.
Se a roda continua dando problemas após o tratamento será o mesmo dentista, o que lhe recomendará a sua remoção cirúrgica. Mas é bom lembrar que, às vezes, após a cirurgia têm o lado operado inchado e sentem ainda dor (mas vai).

De todas formas, para aliviar esses efeitos pode-se colocar um pouco de gelo na parte afetada, mas nunca diretamente, você tem que enrolar o gelo em um lenço ou pano e aplicá-lo bem, coberto, sobre a área dolorida e inchada. Além disso, provavelmente o dentista te receitar um tratamento com antibióticos para prevenir o risco de infecções, e um anti-inflamatório para aliviar a dor e reduzir a inflamação.