Porque nos aparece formigamento nas mãos e nos pés?

30 Jul    Uncategorized via102
Jul 30

Porque nos aparece formigamento nas mãos e nos pés?

Dormência e formigamento das extremidades

É muito frequente que acordemos para a noite e, embora pareça que tudo vá bem, de repente, percebemos que perdemos a sensibilidade de um braço ou de uma perna. Está adormecida, como se todo o corpo fosse despertado e, nessa parte em particular gostaria de continuar a dormir. Assustam-se e em pouco tempo, nossa ponta recupera a mobilidade, mas o faz com um formigueiro crescente. O que é o que nos acontece nesses momentos?
Para compreender, usando a linguagem comum, diríamos que estamos dormindo a perna ou braço (ou pés e mãos). Os especialistas chamam parestesia, uma alteração temporária de uma área do corpo que não causa nenhum tipo de dor mas sim que se perde a sensibilidade. Tendemos a relacioná-la com a falta de fornecimento de sangue nos músculos, mas é mais devido a um problema nervoso.
O que pode causar parestesia?
A verdade é que existem várias causas que podem levar-nos a sentir nessa dormência e formigamento tanto nos dedos, mãos, braços, pés ou pernas. Aqui tendes as causas mais comuns:
A mais comum é a de estar muito tempo na mesma posição, seja sentado como imprestável.
Sofrer uma lesão em algum nervo. Por exemplo, se formos pensar um nervo do pescoço podemos sentir o formigamento nos braços ou as mãos. Se ocorrer em uma área mais baixa, de costas o notaríamos nas pernas ou pés.
Que exista uma hérnia de disco e produza pressão sobre os nervos raquídeos.
Que se exerça pressão sobre os nervos periféricos. Isto pode ocorrer porque tenham ampliado os vasos sanguíneos, porque tenhamos algum tumor que pressione a área, se temos algum tipo de infecção ou mesmo pela presença de tecido cicatricial.
Contrair uma infecção viral por herpes zoster, ou mais conhecido como telhas.
Se a irrigação não é suficiente também pode entorpecer a área. Pode ocorrer em casos de congelamento, se inflama-se algum vaso sanguíneo ou se está endurecendo as artérias.
Às vezes pode ocorrer por ter níveis anormais de potássio, sódio, vitamina B12 ou cálcio. É Por isso que os atletas costumam tomar potássio na dieta ou como um suplemento.
Produtos como o tabaco, o álcool, o chumbo e alguns medicamentos anticancerígenos e podem também dar lugar a parestesias. Também a radioterapia.
Presença de toxinas em frutos do mar
Algumas doenças como diabetes, enxaqueca, síndrome do túnel do carpo, esclerose múltipla, hipotireoidismo, fenômeno de Raynaud, acidente vascular cerebral, ataque isquêmico transitório ou crises epiléticas.

Devemos saber qual é a causa para poder tratá-lo como é devido. Se tiver eliminado todas as possíveis causas citadas anteriormente (doenças ou lesões pontuais), o mais provável é que seja pela falta de mobilidade durante um longo período de tempo, que é o que costuma acontecer com mais frequência.
Interrupção no caminho…
As fibras nervosas e as pontas (e do resto do corpo) transportam informação sensorial, sob a forma de impulsos eletroquímicos, até o sistema nervoso central. Se sofre uma pressão sobre estas fibras, a transmissão do sinal se vê prejudicada e a informação tem que se esforçar para poder passar.
Por isso, também existe a sensação de que se bateu-nos de algo, nesse momento, sentiremos um choque mecânico, mas não teremos a percepção real do golpe.
Seguir com o caminho apesar da interrupção
Às vezes, essa parestesia tão desconfortável pode ser causada pela falta de fornecimento de sangue nessa área. Não permite que os nervos recebem o oxigênio necessário e atrapalha o seu trabalho, mas a circulação sangüínea é apenas uma parte da explicação.
A sensação de formigamento pulsante e quando passamos a ter a área “adormecida” para voltar a funcionar com normalidade, deve-se a estas fibras nervosas que ainda permanecem confusas para o corte que tinha havido em seu caminho. É como se estivessem reinstalando, como se voltassem para recuperar a consciência de onde estavam e para onde iam.
O melhor é ir mudando de posição
Ao igual que outros mecanismos que ocorrem de forma automática no corpo humano, a parestesia tem um propósito protetor. Serve para evitar a morte do tecido. Ao longo permitimos a homeostase (equilíbrio interno) do organismo se ficarmos muito tempo na mesma posição, estamos impedindo que isso ocorra.
Quando, por alguma razão, não mudamos de posição em um período longo de tempo, o cérebro nota o desconforto e ativam-se os sistemas de alerta. Uma forma simples de reverter esse mal-estar é mover-se, mudar de posição e até mesmo fazer uma pequena caminhada se você nos passar nos pés.
Ir ao médico
? No caso em que esta ocorrer parestesia na região do pescoço ou costas, você tem que ir ao médico.
? Em caso de que se possuem as doenças citadas: diabetes, túnel do carpo… você também deve visitar o médico.
? Se aparecem outros sintomas como perda de controle dos esfíncteres, dificuldade na fala ou da visão, perda de consciência, confusão, tonturas, espasmos musculares, erupção na pele…
? Se ao andar ou realizar movimentos o formigueiro não desaparece e piora deve-se também consultar o médico.