Câncer, será esta a definitiva?

28 May    Uncategorized via102
May 28

Câncer, será esta a definitiva?

Os interruptores moleculares que regulam o crescimento de células humanas fazem um grande trabalho, substituindo as células que morrem durante o decorrer da vida. Mas quando falham, podem ocorrer cancros potencialmente mortais.
Uma pesquisa liderada por cientistas do Health Science Center da Universidade do Texas, em Houston revelou um novo mecanismo elétrico que pode controlar estes interruptores.
É uma grande informação no desenvolvimento de tratamentos para alguns dos tipos mais letais de câncer, incluindo os de pâncreas, cólon e pulmão, que se caracterizam por um crescimento celular descontrolado causado por erros em cascatas de sinalização celular.
A investigação se concentrou em um interruptor molecular chamado K-Ras. Há que dizer que quase 20% dos tumores de hoje em dia apresentam alguma mutação do interruptor K-Ras. “Quando K-Ras está bloqueado na posição de ignição promove a divisão celular, o que leva à produção de um tipo de câncer”, disse John Hancock, autor da pesquisa e professor do Departamento de Biologia Integrativa e Farmacologia da Faculdade de Medicina da Universidade do Texas.

“Identificamos um novo mecanismo molecular que reforça ainda mais a atividade de K-Ras”.

Os resultados aparecem na revista Science. O estudo centrou-se nas pequenas cargas elétricas que todas as células levam através de sua limitação (plasma) da membrana. “O que temos mostrado que o potencial elétrico (carga), que uma célula é inversamente proporcional à intensidade de um sinal de K-Ras”, disse Hancock.

Com a ajuda de um microscópio eletrônico de alta potência, os pesquisadores observaram que algumas moléculas de lipídios na membrana plasmática respondem a uma carga elétrica, que, por sua vez, amplifica a saída do circuito de sinalização Ras. Isto é exactamente igual a um transistor em um circuito eletrônico.

O trabalho inicial foi feita com células humanas e animais, e os achados foram confirmados posteriormente em um modelo de mosca da fruta.

“Isso tem enormes implicações para a biologia”, disse Hancock. “Além da importância imediata para a K-Ras no câncer, é uma forma totalmente nova para que as células possam utilizar a carga elétrica para controlar uma multidão de vias de sinalização, que podem ser particularmente relevantes para o sistema nervoso.”